sábado, 9 de março de 2013

#26 - Três metros acima do céu, Federico Moccia

Olá!

Hoje vou falar de um livro que eu adorei! O livro, Três metros acima do céu, do autor Federico Moccia, com o qual mantenho um relacionamento de amor e ódio.

Eu já havia mencionado tanto o autor como o personagem Step nas Tags "Os sete pecados capitais da literatura" e "Top Piriguetagem Literária", respectivamente.

Então, Três metros acima do céu. Este foi um dos livros que não me ganhou pela capa, me ganhou pelo nome. Quando vi o livro, me perguntei exatamente o que acontecia na história para que o nome fosse esse e a cena que dá origem ao nome me conquistou.

"A paixão do mais improvável dos casais, Babi, uma patricinha de Roma, e Step, um motoqueiro bad boy, é a trama de Três Metros Acima do Céu , um romance que conquistou a juventude italiana, a ponto de, durante anos, circular em cópias xerocadas entre os leitores. Para viver o primeiro amor com toda sua intensidade, os protagonistas tentam se modificar, enquanto enfrentam a oposição da família da menina, o estranhamento dos amigos, as dificuldades de acertar o próprio relacionamento e de amadurecer. Babi, a excelente aluna de boa família, assusta os pais ao deixar de obedecer cegamente às convenções que até então regulavam sua existência, enquanto Step se surpreende ao perceber que o amor vai obrigá-lo a abandonar velhos hábitos e tratar com respeito a namorada que se prepara para seguir uma carreira universitária, algo muito distante do que o destino reservou para o jovem delinqüente. Entre pegas de moto, festas que varam noites, tatuagens, brigas homéricas, provas desesperadas de afeto e uma tragédia que mudará para sempre suas vidas, Step e Babi vivem uma incrível história de amor, cheia de reviravoltas e sentimentos à flor da pele, aquele tipo de paixão que só pode ser vivida quando se tem dezessete anos e acredita-se que tudo ainda é possível." Sinopse Skoob

Eu adorei o livro, gostei tanto que fiquei super curiosa para ler o segundo livro, inclusive li os dois basicamente no mesmo dia. Ah, é isso mesmo, tem continuação, depois falo sobre ele por aqui.

Os personagens estão dentro daquele contexto tradicional, "patricinha versus bad boy", mas algo em "Três metros acima do céu" me conquistou. De início não gostei da escrita do Federico, mas logo me acostumei e gostei.

Apesar das diferenças entre os personagens, Federico conseguiu fazer um romance lindo. Ele conseguiu colocar as barreiras onde deveriam estar, barreiras possíveis de serem visualizadas se a história fosse real. Em alguns momentos os personagens entram na fantasia "do tudo dá certo no final" e isso é o máximo, pois proporciona momentos únicos entre eles, possibilitando um romance intenso.

No mais, é uma leitura ótima. Em alguns momentos eu não gostei da personalidade da Babi, assim como em alguns eu não gostei da personalidade do Step. Mas no geral, ambos são ótimos personagens, cativam o leitor. O romance transforma a vida deles e dos que estão próximos a eles em uma loucura, muda os hábitos, mostra a possibilidade de um futuro diferente do que eles tinham previsto. E entre os altos e baixos do romance, eles conseguiram viver algo intenso...

Exatamente de onde surge a cena que dá origem ao "Eu e você... Três metros acima do céu".

Beijos-Beijos e até mais.


Dados sobre o Livro
Nome:  Três metros acima do céu
Autora: Federico Moccia
Editora: Rocco
Ano de Lançamento: 2005
Número de Páginas: 359
Classificação Indicativa (Minha):

10 comentários:

  1. Ainda não li Federico Moccia, mas tenho dois livros dele: Desculpa se te chamo de amor e Desculpa quero me casar contigo, pretendo ler esse ano, mas não sei se vai dar certo ainda, vi o filme de Desculpa se te chamo de amor e ameeeeei o filme, então espero gostar do livro também. Agora que você fez essa resenha muito ótima fiquei mais interessada. A capa é realmente muito intrigante mesmo, já add no skoob, obrigada pela dica.
    Bjos
    Ana Clara
    www.bibliotecavirtu.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ana Clara. =D

      Hum, ainda não li esses que você tem, mas também estou totalmente sem tempo para leitura... Tem duas semanas que estou tentando terminar "O primeiro dia" do Marc Levy e nada.
      Ainda não vi o filme de Desculpa se te chamo de amor, mas vou procurar para assistir.
      Obrigada, eu só li três metros acima do céu e a continuação, que não lembro o nome agora. Mas o estilo do Federico é um pouco diferente dos que estamos acostumadas, eu não gostei no início, mas depois a leitura fluiu...

      Beeijos

      Excluir
    2. O nome do filme esta como Lição de Amor, só to falando que senão vc não vai encontrar o filme.
      Então eu dei uma foleada nesses dois que tenho aqui e vi mesmo, ela parece em um estilo de teatro. Eu já marquei Três metros acima do seu e mais um lá que faz parte também no skoob, acho que se chama: sou louco por você.
      Bjos

      Excluir
    3. Ah, obrigada Ana Clara! =D Pronto, é este mesmo.. sou louco por você. É a continuação de três metros...
      É meio estranho o estilo, mas no fim foi uma boa leitura... vou procurar os dois que você tem para ler depois.

      Excluir
  2. Oi, Debora

    Já tentei ler algo do Moccia e não consegui. Sei lá, não me identifiquei com a narrativa dele, me cansou antes de chegar na página 20, portanto voltou pra biblioteca rapinho.
    Acho que a capa de Três Metros Acima do Céu é muito feia (sim, eu julgo pela capa :P) e não tenho vontade de lê-lo. Vou tentar dar uma chance a algum outro livro do Moccia, mas não agora.

    Gislaine Alves
    atualizado, comenta?
    Jeito Inédito

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gislaine! =D

      Menina, eu também achei péssimo no início, mas daí fui me interessando pela história, ficando curiosa, de repente a leitura fluiu, mas no segundo livro (continuação deste), eu não me sai tão bem na leitura, talvez por não estar gostando do rumo que a história estava seguindo.. rsrsrs
      Também não gostei da capa, sem criatividade, esta é a verdade, mas gostei do nome. =)

      Beijos

      Excluir
  3. O livro é lindo. O primeiro amor a gente nunca esquece. A historia esta muito bem contada. porém, a continuaçao do livro é horrivel, mal escrita, mal redatada. Nao tem nada a ver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade. Também não gostei muito do segundo, também achei que não tinha nada a ver.

      Excluir
  4. Sabe de uma coisa? Eu nunca tive coragem de falar isso pra ninguém, porque todo mundo que já leu parece ser extremamente apaixonado por três metros acima do céu. Mas, incrivelmente, achei o Step um saco muitas vezes.
    Um rebelde sem causa, e me soou muito como um playboy querendo chamar atenção e se aventurando irresponsavelmente. '-' Sei que ele sofreu algumas coisas, que ele é frustrado com coisas do passado, mas acho ainda assim injustificavel. Não me mate, Ana HUAHUAUHAUA
    Eu achei chatinha a narrativa no começo, mas foi algo que me acostumei, a medida em que ia prosseguindo com a leitura.
    A Babi também muitas vezes foi um pé no saco, mas venhamos e convenhamos, muitas vezes também muito mais consciente do que o Step, que parecia não ter limites.
    Uma cena que me deixou enfurecida (SPOILER SPOILER SPOILER HAHAHAHA) foi quando ele chama ela pra jantar, e, além de esta cercado de todos os "amigos" dele (Só considerava amigo MESMO o Pollo, e fiquei extremamente triste com o que aconteceu) eles no final, saem correndo sem pagar a conta. Besteira minha, mas só consegui pensar no pobre cozinheiro que teve o trabalho de preparar tudo, no pobre garçom, nos pobres funcionários que teriam que arcar com o prejuizo deixado por eles. HAHAHAHAHA
    O irmão do Step é outro do qual morro de pena, por ter que suportar o temperamente dele. Mas no final também me decepcionei com a Babi, por simplesmente ter deixado a amizade com a Pallina morrer. Foi feio, ficou parecendo que a relação delas de amigas antes de tudo, era supérflua, amizade por conveniência. Não consegui entender, talvez por jamais trocar minhas amigas por coisa alguma.
    NO MAIS, eu achei o final adequado. Acho que se fosse de outra forma, o livro não ganharia MESMO alguns pontos positivos meus (mesmo com os meus desagrados).
    Agora eu tenho que dizer, que, apesar de na maioria das vezes preferir os livros do que os filmes, paixão sem limites (a versão espanhola de três metros acima do céu, filme) me conquistou. Preferi ele do que o livro. Mario Casas e Maria Valverde me encantaram, e a quimica foi tão perfeita, que eles são casal na vida real também. Shipo muito. <3

    Agora chega dessa biblia, vc já deve ta cansada de mim HUAHUAHUAHUHA
    Descubri o seu site por acaso, e adorei. Ta lindo!!!
    Sempre vou tentar dar um pulinho aqui.
    Beijooooos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adoooooooooooorei seu comentário, Mari! =D Eu achei o Step muito inconsequente, mas quando faço as resenhas evito dar muito spoiler, tipo falo o essencial do que achei. Mas concordo com praticamente tudo que você falou. Eu conheci há alguns anos garotos como o Step e garotas como a Babi e, acredito que por isso eu tenha meio que entrado mais na história. Não que eu lembre de algum deles terem se relacionado, mas consegui visualizar as personalidades muito bem. O filme (que só vi depois) me conquistou mais, e se tivesse terminado diferente eu não teria gostado, criei abuso da Babi, =/ e tinha grandes ressalvas com o Step, mas aos poucos ele me conquistou. Ok, admito. Gosto de peças ruins. kkkkkkkkk

      Muiiito obrigada, fico muito feliz que tenha gostado e espero te ver por aqui mais vezes. Beijão

      Excluir