quarta-feira, 1 de maio de 2013

#36 - O Primeiro Dia, Marc Levy

Oi, gente!

A resenha de hoje vai ficar um pouco grande, pois há tempos não marcava tanto as páginas de um livro, mas Marc Levy me surpreendeu com algumas belas palavras em O Primeiro Dia.

"Adrian é um Astrônomo que dedica sua vida à procura da mãe de todas as estrelas, a primeira a brilhar no céu, milênios de anos atrás, no nascimento do universo. Keira é uma Arqueóloga cuja meta é a descoberta do fóssil do primeiro ser humano a caminhar sobre a Terra. Um pingente desenterrado do sopé de um vulcão adormecido une estas duas trajetórias - e, juntos, Adrian e Keira embarcarão numa aventura que os levará do coração da África às montanhas da China, em busca de respostas para perguntas milenares de toda a Humanidade."


"Ambiciosa e apaixonada, a arqueóloga Keira comanda uma escavação no Vale de Omo, na Etiópia – e, quando uma tempestade de areia destrói o local, se vê obrigada a retornar à Europa. Mas traz consigo um estranho pingente, que recebeu das mãos de um menino etíope. Em Londres, disputando uma bolsa de pesquisa, seus caminhos se cruzam com o de Adrian, um renomado astrônomo – e seu ex-caso, de muitos anos atrás. Numa visita ao apartamento dele, ela esquece lá o pingente, acendendo em Adrian tanto o interesse científico pela origem do artefato quanto o amoroso por sua dona. Logo se tornará claro para o casal que eles não são os únicos interessados no pingente, e que há gente disposta a tudo para consegui-lo. Keira e Adrian partem numa viagem que os levará a vários continentes, seguindo mapas traçados a partir das estrelas e pistas enterradas no solo. E sua meta é achar a resposta para perguntas que intrigam a todos desde o início dos tempos."

Este foi o primeiro livro do Marc Levy que li, não conhecia o autor e somente depois de comprar os livros "O Primeiro Dia" e "A Primeira Noite" que procurei saber sobre o mesmo e acabei descobrindo que "E se fosse verdade..." filme que assisti milhares de vezes era baseado em um de seus livros (que lerei em breve).

Uma história mergulhada em mistério e romance, com um tema interessantíssimo e com personagens principais e secundários ótimos, no fim, só poderia me interessar. Os diálogos são ótimos, com conversas inteligentes, outras românticas (sem exageros), algumas cômicas, mas no fim todas com um ponto em comum: interessantes. Copiei alguns trechos que achei que não poderiam faltar aqui na resenha, com comentários entre parênteses:  

Se as pessoas partissem em lua de mel antes da cerimônia de casamento, tenho certeza de que os tribunais evitariam muita papelada inútil. (inteligente, mas trágico com uma pitada de cômico se analisado o contexto).
A mulher e o homem não precisam ser ideais, o que interessa é o que os dois pretendem fazer juntos. Uma grande história de amor é o encontro de duas pessoas dispostas a dar. Já passou por isso na vida? (inteligente e romântico).
Einstein dizia que duas coisas são infinitas, o universo e a estupidez humana, e ele não tinha a menor dúvida com relação à segunda. (inteligente, sem mais comentários).

O jogo de Xadrez é algumas vezes citado no livro, e em uma das partidas fiquei visualizando as jogadas e em razão do meu amor e admiração por quem sabe jogar uma boa partida de Xadrez, o trecho abaixo:

Xeque-mate, Vackeers, mas você sabia disso desde a quinta jogada.

Essas não foram as únicas marcações que eu fiz, mas também não podia transcrever páginas e mais páginas do livro aqui, =p. Acredito que esta tenha sido a resenha mais detalhada que fiz, mas o livro merecia. Admito que no início, apesar da temática me interessar, não me empolguei muito, pois por ser muito descritivo a leitura era chata.

A quantidade de informações jogadas é tão intensa que parei o livro diversas vezes (nas primeiras 150 páginas) para poder assimilar, queria ter um entendimento razoável para saber o que exatamente os personagens estavam buscando. Fazia cerca de 01 mês que tinha parado a leitura quase na metade do livro, ontem uma parte (26.04) e hoje finalizei (27.04).

Terminei na esperança de pegar a continuação (A Primeira Noite) e devorar, mas parei para escrever a resenha enquanto ainda estava com a cabeça mergulhada na história e, acredito que tenha valido à pena.

É isso, beijos-beijos e até mais.



Dados sobre o livro:
Nome: O Primeiro Dia
Autora: Marc Levy
Editora: Suma de Letras
Ano de Lançamento: 2012
Páginas: 365
Indicação (minha): 12 anos

2 comentários:

  1. Oiee Linda, tudo bem ?
    Desculpa pela minha ausencia, mas andei cheia de problemas e também agora estou para mudar o Layout de meu blog e estou me organizando passando de blog em blog para ver quem me linkou e quem não. Porque estou fazendo uma limpa e queria saber se vc poderia me linkar, me seguir e curtir minha pagina do facebook. Fique sossegada que farei o mesmo pelo seu, até porque vc ja ta linkada e ja estou te seguindo. Mas se tiver pagina no face tambem soh me passar. Me avise nos comentarios por favor.


    Olha tenho que dizer antes de ir que adorei a resenha. Eu li e achei a historia super interessante. Nossa, eu gosto dessas coisas de misterios e tudo mais. Quando começou a falar que encontrou um pingente e tals, eu já me interessei. Parabens pela resenha. Vou procurar saber mais sobre o livro.
    bjokas

    lovereadmybooks.blogspot.com.br


    OLHA SE PUDEREM ME LINKAR , SEGUIR e curtir minha pagina do facebook agradeço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo bem Silvana. Obrigada, eu gostei muito do livro. =D Ah, já te linkei - no meu Blogroll. =D Beijos

      Excluir